A magia de Kelly

Kelly Slater botou medo em todos os tops do circuito no último dia do Rip Cur Pro Bells Beach

Ninguém foi páreo para Kelly Slater no último dia do Rip Curl Pro Bells Beach, nem mesmo a contusão em seu pé direito conseguiu segura-lo. Kelly tocou o sino pela quarta vez em sua carreira, igualou o seu numero de vitórias em Bells ao numero de vitórias da lenda Mark Richards e surfou daquele jeito que assusta a grande maioria dos tops do WT.

O diretor de prova Damien Hardman não quis arriscar esperar o swell que estava previsto para chegar no fim de semana e colocou as baterias que faltavam em Johanna, aproximadamente 2 horas da praia de Bells, que como a maioria dos surfistas falaram estava bem mexido.

Kelly não deu chances a todos os tops que estavam embalados no campeonato. Primeiro Michel Bourez, depois Bede Durbidge e Bobby Martinez. Bobby vinha dando show em suas baterias, contra o careca somou apenas 3.80 pontos. Pressão de cair contra o melhor de todos os tempos? Magina.

Na final seu oponente era Mick Fanning. Mick vinha sendo muito consistente, sempre com o surf no pé e soltando as manobras que os juízes querem ver. Em sua bateria da semifinal, Fanning enfrentou Taj Burrow e não deu chances para o surfista que até agora era o mais perigoso do WT.

Então era isso, de um lado um eneacampeão mundial com o pé quebrado e do outro o atual campeão tentado defender seu titulo contra o pior dos adversários.

Deve ser muito complicado ficar meia hora dentro do mar do lado de Slater, todos que caíram contra ele até agora surfaram diferente do que surfaram na outras baterias, com Fanning não foi diferente. Na maioria das ondas do aussie, ele cometeu erros que não é nada comum vê-lo cometendo. Kelly também não acertou nas primeiras e demorou a encaixar o seu surf. Faltando pouco menos de 10 minutos para o fim, quem estava na frente era Mick.

Foi nessa hora que o eneacampeão mostrou sua magia. Kelly entrou em uma onda fechando e para não desperdiçar tempo, soltou um aéreo inacreditável. Durante a manobra, ele perdeu o pé da prancha e aterrisou no meio da espuma. Todos já estavam se lamentando quando Kelly ficou em pé. Ninguém acreditou, acho que nem mesmo Slater. Com essa manobra o careca tirou 8.93 pontos e, mesmo faltando pouco mais de 5 minutos para o termino da bateria, todos sabiam que ele ia tocar o sino.

Depois de Bells, algo me diz que este ano o título mundial vai ser disputado pelos dois protagonistas da final.

CURRENT ASP WORLD TOUR TOP 10 (After Rip Curl Pro Bells Beach):
1 –
Taj Burrow (AUS) 16500 pts
2 – Kelly Slater (USA) 13750 pts
3 – Jordy Smith (ZAF) 13250 pts
4 – Bobby Martinez (USA) 13000 pts
5 – Mick Fanning (AUS) 11750 pts
6 – Joel Parkinson (AUS) 10500 pts
6 – Bede Durbidge (AUS) 10500 pts
6 – Adriano de Souza (BRA) 10500 pts
9 – Dane Reynolds (USA) 8250 pts
10 – Fredrick Patacchia (HAW) 7500 pts
10 – Adrian Buchan (AUS) 7500 pts

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: